quinta-feira, 28 de abril de 2016

OS ADMIRADORES DO DEPUTADO DA TORTURA


Mais assustador que o deputado federal que elogia torturadores e insiste em atacar princípios básicos dos direitos de cada um de nós é o crescimento daqueles que dizem apoiar suas, vá lá, ideias. Segundo o Datafolha, ele chega a ter 8% das intenções de voto para presidente da República, ou seja, cerca de 11,400 milhões de brasileiros gostariam de vê-lo no Palácio do Planalto.

É provável que parte do apoio venha dos que nele identificam um político honesto, não envolvido em casos de corrupção. Isso explicaria o fato de, em 2014, muitos eleitores terem votado no tal parlamentar e em Marcelo Freixo, do Psol, deputado estadual. Uma dobradinha estapafúrdia, mas que faz algum sentido no aspecto da moralidade pública. O uso de temas patrióticos por parte do deputado federal e sua condição de militar da reserva também dão pistas sobre a origem de tantas intenções de voto. Muita gente — pessoas que se acham incapazes de cuidar da própria vida — sonha com um paizão, um sujeito que ponha ordem na casa, que organize uma suposta bagunça.

Até aí, vá lá. Mas a situação se complica quando se nota o apoio de muitos brasileiros a propostas que absolvem a tortura e incentivam a violência policial e a intolerância em relação a homossexuais. Isto demonstra o quanto somos cruéis, o quanto a lógica da escravidão — que autorizava a tortura de seres humanos em praça pública — permanece entre nós. Não à toa que as intenções de voto no parlamentar cheguem a 23% entre os eleitores mais ricos, herdeiros, ainda que apenas no aspecto simbólico, dos escravocratas que mandavam e desmandavam por aqui.

A aceitação das propostas do deputado revela que há, entre nós, um país brutal, agressivo, intolerante, perverso, adepto do linchamento, incapaz de conviver com a diferença, com o contraditório. Uma nação que considera inimigo aquele que é apenas adversário. Brasileiras e brasileiros que, sabe-se lá por que, sentem-se ameaçados pela existência de homossexuais — cidadãos que pagam impostos como quaisquer outros.


Os conterrâneos que legitimam o deputado assumem um compromisso com o obscurantismo e parecem não ter ideia do risco que correm ao estimular a barbárie. Não poderão reclamar se forem vítimas de violência policial ou mesmo se uma irmã ou uma filha — não importa o motivo — vier a ser detida e for vítima de tortura. Serão assim cúmplices daqueles que irão estuprá-la, pendurá-la no pau de arara e aplicarão choques em suas partes íntimas.

2 comentários:

  1. O melhor de tudo é ver uma Maria do Rosário calar a boca suja ao falar besteiras como "proteger o bandido", ou "o bandido é coitadinho, é vitima da sociedade". É por essas e outras sandices da esquerda que eu voto em JAIR BOLSONARO. Não voto em partidos, voto em pessoas. Até agora só vi os esquerdopatas idiotas tentarem atacar esse Deputado Federal de todo o jeito, com seus velhos golpes e artimanhas, estilo cortina de fumaça, que todo esquerdalha faz muito bem, só que esse tipo de movimento já está mais que manjado. Jair Bolsonaro defende cadeia de verdade para os bandidos, e não esse obaoba que ocorre hoje, indultos de natal, presos fugindo e não voltando mais, presos libertos temporariamente que saem pra praticar crimes. Presos por crimes violentos que após alguns poucos anos são premiados com indultos diversos. Ele cita várias vezes o caso do criminoso "CHAMPINHA", quem não conhece este caso sugiro que vá estudar. Maria do Rosário é uma esquerdalha idiota que defende penas mais brandas para presidiários. Eu sinceramente torço muito pra essa imbecil tomar um tiro na cara em uma tentativa de assalto, pra defender uma idiotice destas. Jair Bolsonaro defende que se pague pro crimes cometidos. Ele também defende direitos iguais, seja pra homossexuais, héteros, brancos, negros, índios. O que se vê hoje é um festerê de gêneros, onde todos são "discriminados" e por isso, coitadinhos da sociedade. Isso é uma grande mentira. O que deve haver é respeito entre os gêneros. E quando não houver respeito, que haja punição. Essa bósta que existe hoje foi criada pela esquerda podre, que acha muito legal idiotizar e dividir um pais em grupos de raças e gêneros, para se favorecer com estes conflitos. Já está na hora de acabar com isso. Fico aliviado quando esse bando de ladrões da esquerda foi varrida do governo, e blogs idiotas que defendiam a esquerda (E GANHAVAM MUITA GRANA PRA ISSO) perderam a sua tetinha, hoje ou estão fechados ou estão trabalhando só por "amor a causa". Hoje vejo na rua jovens idiotizados xingando e falando mal da força policial, como se estes imbecis entendessem alguma coisa de como funciona o sistema de segurança pública, e como se a força policial estivesse ali somente para aterrorizar estes mesmos jovens imbecis. O trabalho foi feito, a esquerda banda podre destruiu o sistema educacional do país, onde o aluno passa de ano de qualquer jeito. As médias escolares foram realocadas para o mínimo possível, para ser o obaoba do povinho, que acha o máximo não ter que estudar. E estes elementos são aqueles que quando adultos, vão achar o máximo não ter que trabalhar. Quem sabe uns bolsa família diversos e minha casa minha vida resolvem o problema deles né?

    ResponderExcluir
  2. Você vota mal, amigo. Quanta raiva no coração.

    ResponderExcluir